domingo, 26 de fevereiro de 2012

Philippe Tournaire. Arte e sofisticação em jóias


Já imaginou possuir um castelo em suas mãos. E nos dedos, sendo mais específico. Trocadilhos à parte, palácios, mansões e monumentos arquitetônicos são transformados em anéis pelo artista e ourives, mestre em joalheria, o francês Philippe Tournaire


As joias, em ouro 18 quilates, platina e pedras nobres, fazem parte da linha de miniaturas Casa dos Sonhos (Villa de Rêve).  Verdadeiras obras de arte, os anéis remetem a cidades como Nova York, Roma e Moscou. Um mimo, que pode satisfazer gostos mais excêntricos, custa na mais nada menos que cerca de R$ 10 mil. Dependendo do uso das pedras, como também os metais, o preço pode chegar até mais. 


Não há como não se encantar com sua arte, diante seu estilo único que mescla equilíbrio, bom gosto e muito glamour.  Joalheiro  além de design e criador apaixonado, Philippe Tournaire conecta o mundo de pedras e metais preciosos com a história da arte e da ciência . Uma combinação de cores e perfeição de detalhes.


Seu atelier, localizado em Place Vendôme, Paris e em mais dois endereços na França, está sempre estabelecendo em suas peças, harmonia e bom gosto. É um trabalho meticuloso, não somente voltado à criação, mas também, se adaptando as coisas e elementos nossos do dia a dia. Antes de iniciar a arte de esculpir e confeccionar em metais preciosos, Philippe Tournaire queria entender o mundo. Cada viagem a Paris, ele passava longas horas no Museu do Homem, em Place du Trocadero. Sua fascinação o levou a entender como os primeiros seres humanos foram capazes de moldar objetos através de métodos primitivos e transformá-los em enfeites e outros ornamentos. Ele alimentou a sua imaginação e o resultado, você pode conferir nas fotos.


Philippe Tournaire, não hesita em usar as técnicas tradicionais para a produção de jóias, esculpidas artesanalmente à mão. Sua joalharia e autenticidade, combinam com um toque moderno se misturando à tecnologia moderna. 


Philippe Tournaire, formado em eletrônica, durante dez anos trabalhou sozinho em um porão abandonado onde o converteu em estúdio. Aos 35 anos de idade, resolveu  em 1984, abrir uma loja em Montbrison, na  França




Durante este período, também exibiu em exposições de arte contemporânea, especialmente em Paris, Bélgica e Alemanha. Seu contato com outros designers e criadores de jóias, tem sido bastante gratificante. 



Um trabalho realmente minucioso, impecável e preciso. Realizado com muita dedicação.


O rompimento com a solidão de seu íntimo criativo, a mercê do desafio diante da beleza única de suas peças preciosas. Verdadeiras obras de arte.

Um comentário: